Existe vida após o Exame de Ordem ?

Fernandópolis, 04 de abril de 2011

Acabo de prestar a segunda fase do Exame e trago comigo a experiência de ter prestado, pela primeira vez, a primeira prova de peso na vida de um estudante de Direito. Talvez o "peso" possa estar na inexperiência com provas do tipo, na pouca idade, na cobrança de si, ou quem sabe na impressão que tem ficado de que a prova da OAB tem se tornado cada vez mais rigorosa, criteriosa e seletiva.

Sem entrar na questão da obrigatoriedade ou não do Exame, já que em particular acho o Exame necessário, certo é que a OAB não está para brincadeira e, não só a impressão, mas a certeza que tem ficado, é de que só será aprovado no Exame aquele que estudar com afinco, que se preparar com seriedade e que dominar a matéria específica da segunda fase. Mas também não é só isso, uma vez que não importa o quanto você saiba da matéria, você tem que saber, sobretudo, lidar com o TEMPO na segunda fase da prova, já que a peça é extensa, os enunciados gigantescos e o tempo muito curto para dar conta de tudo. Sem contar que nesse "tudo" engloba o controle do nervosismo, da ansiedade, da concentração, da ida ao banheiro, de beber água, comer algo... E aí, meus amigos, não tem tristeza maior do que você ter estudado muito, ter se preparado de verdade, ler as perguntas, saber as respostas, mas não ter tempo para respondê-las ou até mesmo não ter tido tempo para fundamentá-las melhor, ou discorrer mais sobre o assunto.

Em particular, saí da prova faltando uns 5 minutos para acabar o tempo, e fico pensando que se tivesse tido um pouco mais de tempo teria relido as questões com mais calma, incluído alguns artigos e súmulas que fundamentam melhor a resposta, mas que,  infelizmente, a correria te faz esquecê-los... Nesse aspecto me solidarizo com muitos amigos que também ficaram nessa situação, gente que se esforçou,  se privou de muitas coisas, que leva uma vida corrida, alguns que cuidam da casa, dos filhos.. e que teve uma prova  exaustiva, extensa e em curto tempo para ser feita, que não teve a oportunidade de provar o quanto sabe sobre o tema, o  quanto estudou e o potencial que tem, justamente por não ter tido tempo hábil para tanto.

Apesar de ter feito Direito Penal na segunda fase, me solidarizo também com o pessoal de Direito do Trabalho, já que um dos professores mais conceituados em Direito do Trabalho, o professor Renato Saraiva, afirmou que se tivesse prestado esse último Exame de Ordem não teria passado na prova por falta de tempo hábil para terminá-la (confira aqui). Nesse ponto acho que o Exame peca conosco, já que exigem de nós uma experiência com provas em relação ao tempo que talvez apenas concurseiros que se preparam e prestam provas há anos teriam; tudo bem, que seja uma prova criteriosa, mas que seja justa e humanamente possível de resolvê-la no tempo em que eles estabelecem.

Agora, já feita a nossa parte, nos resta esperar a divulgação do resultado, que sai por volta do dia 27 de abril.

E a todos os meus amigos que prestaram a prova, e todas as outras pessoas que também fizeram o Exame, desde os mais otimistas e esperançosos até os mais desacreditados, gostaria de dizer que estamos todos juntos nessa, até o fim! E que Deus nos ajude.

Olá, amigos!

Em breve continuação nas atualizações.
Último ano do curso de Direito a "coisa" aperta.

Abraços e até breve.